20 de out de 2011

Um ode a Manoel Bandeira

Notícia de um jornal que não li:


Nu nessa terra veio,
Nu dessa terra foi.
Ele foi um produto do meio
E meio que do barro veio
E enterrado no meio do barro foi!

Durante a vida engoliu sapos, creio,
E com o coaxar dos sapos se foi.

Agora essa notícia num jornal que nem leio:
Pescador bebeu, mergulhou no rio, e se foi.



Faz muito tempo que não posto nada aqui, não poderia deixar o dia do poeta passar batido. Por isso aqui está uma poesia inédita, o próprio Manoel Bandeira disse que mais tarde ia comentar, e você ?!

Nenhum comentário:

Postar um comentário